sábado, 11 de agosto de 2007

Uma Dúzia de Pedidos



Pai...

- Não me dês tudo o que te peço
Às vezes meus pedidos querem apenas ser um teste,
para ver o quanto posso pedir.
- Não grites comigo
Eu te respeito menos, quando o fazes
E me ensinas a gritar também, e eu não quero fazer isso.
- Não me dês ordens a todo momento
Se em vez de mandar, algumas vezes externasse teus desejos sob forma de pedidos,
eu o faria mais rapidamente e com mais gosto.
- Cumpre as promessas que fazes, boas ou más
Se me prometes um prêmio, deve concedê-lo;
assim como um castigo.
- Não me compares a ninguém, especialmente com meus irmãos
Se me colocas acima deles, alguém vai sofrer
Se me colocas abaixo, eu é que sofro.
- Não mudes de opinião a cada momento sobre o que devo fazer.
Pensa antes, mantendo a decisão.
- Deixa que eu faça, acertando ou errando
Se fazes tudo por mim, serei um eterno dependente.
- Nunca pregues uma mentira, nem me peças que eu o faça
Isso criará em mim um mal-estar e me fará perder a confiaça em tudo o que afirmas.
- Quando te enganas em alguma coisa, admite-o francamente
Isso não te diminuirá a meus olhos, pelo contrário, te fará crescer e eu aprenderei a assumir minhas faltas.
- Quando te dás conta de um problema meu não digas que é bobagem que o tempo corrige ou que não tens tempo
Eu preciso ser compreendido e ajudado.
- Trata-me com a mesma amizade e a mesma cordialidade com que tratas teus amigos
Pelo fato de pertencermos à mesma família, não significa que não possamos ser amigos também. - Nunca me ordenes fazer uma coisa
Quando tu mesmo não a fazes
Eu aprendi a fazer sempre e apenas aquilo que tu fazes e não aquilo que tu dizes.

Eu te amo muito, pai!
Postar um comentário